Conheça verminoses comuns nos cães, mas que causam sérios problemas de saúde

A Vetoquinol, nono maior laboratório veterinário dedicado à saúde animal no mundo, alerta para as verminoses mais recorrentes nos cães, que embora sejam patologias comuns, podem, dependendo do nível de severidade e da idade do cão, causar sérios problemas de saúde e até levar à morte.
Saiba os riscos, formas de contágio, métodos de prevenção e tratamento, e veja como proteger ainda mais o seu pet.

Dirofilaria immitis
A Dirofilaria é um verme redondo, semelhante a uma lombriga, porém, não igual. A transmissão se dá por meio de um mosquito infectado. Ao picar o cachorro, o mosquito deposita as larvas, que são absorvidas pela pele.
As larvas crescem e migram até o coração, onde se alojam, crescem e botam seus ovos, que originam pequenas larvas, as microfilárias, que vivem pela corrente sanguínea. Quando o mosquito pica um cão infectado, ele suga o sangue com as microfilárias, que, por sua vez, serão transmitidas a outro cão.
“Cães infectados podem apresentar atrasos no crescimento, insuficiência cardíaca direita, cirrose hepática, acúmulo de líquido no abdômen, dificuldades respiratórias e, em alguns casos, o quadro culmina na morte do animal”, afirma a veterinária Luciana Nishi, gerente de Marketing da Vetoquinol.
Diagnóstico: exame de sangue. Prevenção: procurar um veterinário, administrar o vermífugo todo mês.

Ancylostoma caninum
O Ancylostoma é um verme cilíndrico e alongado, cuja transmissão se dá pela ingestão, ou penetração cutânea, das larvas infectantes, que se encontram no solo e são ingeridas pelos cães ou penetram por meio da pele.
Uma vez no organismo, elas parasitam o intestino delgado do cão. Os ovos do parasita são eliminados pelos próprios cães, por meio das fezes, e ficam expostos no solo, até que sejam ingeridos por outro cachorro.
O Ancylostoma provoca perdas de sangue e anemias e nos filhotes causa diminuição no ritmo de crescimento, pouca energia, queda de pelos, diarreia, vômitos e fezes com sangue.
Diagnóstico: exames. Prevenção: cuidar da higiene do animal, administrar corretamente o vermífugo e levá-lo com frequência ao veterinário.

Toxocara canis
É um verme redondo, conhecido como Síndrome da Larva Migratória. Acomete filhotes, pois as larvas infectantes podem passar pela placenta durante a gestação, ou durante a amamentação. O contágio ocorre ainda pela ingestão acidental dos ovos do parasita, que se encontram no solo. Quando na idade adulta, os vermes são encontrados no intestino delgado.
Cães infectados podem ter distensões no abdômen, pelos opacos e eriçados, desnutrição e choro contínuo. Se a quantidade de vermes dentro do organismo for grande, pode levar a uma obstrução intestinal, e até à morte.
Diagnóstico: observação dos sinais clínicos e exames. Prevenção: higiene e correta administração do vermífugo.

Trichuris vulpis
É um verme do tipo redondo, que parasita o intestino grosso dos cães. O contágio ocorre pela ingestão dos ovos do parasita, que se encontram no solo, ou até mesmo de alguma outra substância que, por algum motivo, contenha fezes de um cão contaminado. No organismo, os vermes fixam-se nas mucosas do intestino, onde se alimentam de sangue.
Se a quantidade de larvas infectantes no organismo for grande, os cães podem ter diarreias com muito muco e sangue, que, se não forem tratadas, podem levar à morte.
Prevenção: higiene, idas frequentes ao veterinário e vermífugo.
____________________________________________________________
Mais informações:
Veropress Comunicação Corporativa
Thais Abrahão (thais@veropress.com.br) – (11) 9900-8402 / (11) 3061-2263 e Rosana Monteiro – (Rosana1@veropress.com.br) – (11) 3062-0843

Website: http://www.vetoquinol.com.br